Look do dia

Inspirações Plus Size para a gente seguir já!

Models2

 

Oi gente!

Vamos falar de inspirações?

Sim, ter algo ou alguém que nos inspire é algo maravilhoso.

Nossos avós já nos ensinavam assim, para seguirmos os conselhos ou exemplos de alguém que podia ser nossos pais, professores, tios… Quem nunca ouviu isso né: “siga o exemplo de seu pai!”

Ter pessoas que nos inspiram e que sirvam de “espelho” para a gente no processo transformador da auto aceitação, pode ajudar e muito a deixar tudo mais fácil.

Atualmente vivemos cercados de imagens perfeitas. Cenários perfeitos, família perfeita, relacionamento perfeito e, CORPOS PERFEITOS.

Gente, isso não existe. A perfeição não existe!

A família perfeita não existe, tão pouco o corpo absolutamente perfeito.

Pare com tanta cobrança. Pare de se comparar com as fotos postadas nas redes sociais.

Isso não é real. Não é benéfico. A partir dessas imagens, geramos inconscientemente ou não, competições pouco saudáveis e nada positiva para nossa saúde mental. Chega desse mimimi todo. Temos que entender que cada indivíduo é único. Cada um de nós tem características próprias. Meu cabelo não é igual ao da modelo do comercial de xampu. Minha família não é a do comercial de margarina. E a sua? Acredito que também não seja…

Meu corpo também não é igual ao das modelos do último lançamento das passarelas de moda.

E, então, alguém pergunta: “Ká, eu me vejo um tanto perdida, sem referências. Como agir nesse caso?”

Gata, eu sugiro você pesquisar, admirar e se inspirar em pessoas que tenham algo em comum com seu estilo de vida, suas características, e que lembrem seu tipo físico.

O instagram, sites, pinterest e tantas outras ferramentas estão lotadas de gente e coisas bacanas.

Eu mesma, adoro seguir blogueiras e modelos plus size. Gosto de ver como se vestem, como posam para fotos.

Realmente é inspirador.

Mas vale lembrar que o objetivo aqui é de se INSPIRAR e não COPIAR, ok?! Respeite o seu estilo, o seu gosto.

Reuni algumas sugestões de modelos e blogueiras para inspirar vocês, vem ver…

 

 

Fluvia Lacerda

@fluvialacerda

fluvia1

 

É uma modelo brasileira, descoberta em NY, considerada a “Gisele Bündchen do plus size”. Há 15 anos no mercado internacional, Flúvia é um ícone do segmento plus size, já foi capa da Vogue Itália e já foi estrela de muitas campanhas no mundo todo. Foi a primeira mulher plus size a estampar a capa da revista Playboy, considerada símbolo da sensualidade por décadas, Fluvia representa e inspira mulheres no mundo todo.

 

fluvia2 fluvia3

 

 

 

Ashley Graham

@ashleygraham

ashley1

 

Aos 30 anos, a modelo americana tem 7,5 milhões de seguidores no Instagram e é uma das fundadoras de um coletivo de modelos plus batizado de ALDA, que incentiva as mulheres a amarem seu corpo independente do manequim.

 

ashley2 ashley3

 

 

Ju Romano

@ju_romano

Ju1

 

Jornalista e blogueira do Ju Romano Entre Topetes e Vinis, Juliana usa seus canais para escrever textos reflexivos sobre o comportamento da mulher e também inspirar sobre a quebra de paradigmas e regras da moda que limitam nossa criatividade, liberdade e expressão.

 

Ju2 Ju3

 

Agora, vou fazer um apanhado geral de mulheres lindas e deixar aqui para vocês umas sugestões de modelos maraviLindas para vocês seguirem, pois elas nos inspiram com seus trabalhos no mundo da moda nacional, cheias de estilo e muito talento, seja no comportamento ou no modo de se vestirem e valorizarem ainda mais suas curvas. E tome beleza!!!!

 

@alinezattar

Aline

 

@deborafernandesplus

De1

 

@silvianeves

Silvia

 

@mayararussi

1554833880_mayara

 

Espero que curtam minhas sugestões e realmente consigam ter inspirações com os looks e comportamento dessas mulheres “baphonicas”.

 

Beijinhos da Ká.

 

 

Reflexão do dia

Oi gente….

Ontem o dia foi cheio, como eu gosto!

Tive sessão de fotos das maravilhosas semi-jóias da Lidi para mostrar em breve aqui no blog e também aconteceu na city uma super palestra com a publicitária, escritora, colunista de moda Cris Guerra – autora do primeiro blog de looks do dia no Brasil, “o hoje Vou Assim”, sobre o tema “Talento e inspiração: transformando adversidades em oportunidades”, a palestra foi organizada pelo Núcleo de Moda e Sebrae.

Assim que eu conseguir, trago mais informações a respeito, ok.

Mas para dar uma diferenciada e falar um pouco sobre comportamento e opinião, e vocês sabem o quanto gosto disso, hoje apresento à vocês mais um texto da querida escritora Rosane machado de Andrade, que nos brinda com mais um assunto que merece nossa atenção e nos convida a refletirmos um pouquinho…. Vamos à leitura?

QUANTO VOCÊ PAGA PRA SER FELIZ?

                Conheço mulheres que estão em relacionamentos destrutivos. Mulheres que são literalmente infelizes. Doentes o tempo todo, com sua autoestima lá no subsolo. Cientificamente comprovado que quando temos muitas doenças, quando somos acometidas por aquela gripe intermitente, quando temos dores de estômago constantes, prisão de ventre…há algo que vai pra lá de mal.

                Não podemos descartar as doenças propriamente ditas que surgem de deslizes nossos como, por exemplo, em plena dieta saímos e vamos pra uma balada com pouca roupa, ingerindo álcool até a raiz dos cabelos… depois de três dias a tal da gripe vem. Mas aí sabemos que o resultado virá e por culpa e escolha nossa.

                A questão centra-se nas pessoas que nos cercam, amigas, colegas de trabalho… que reclamam do parceiro, reclamam do casamento, namoro, enfim, do que tem com o tal…Você até alerta para o principal motivo de tudo isso, mas ela alega que não sabe o porquê de continuar em um relacionamento assim… E nem adianta elencar as trocentas qualidades da moça, nem avisá-la que até o trabalho dela está indo de mal a pior em função de tudo isso.

                Quando você acha que ela caiu em si, que ela vai dar a volta por cima e seguir a vida amparada apenas em suas pernas, depara-se com suas fotos na rede social em uma viagem para algum lugar paradisíaco… com ele.

                O que dizer? O que pensar?  Ah, não é a sua vida, cada um com seu cada qual. Certo? Talvez se esta mesma pessoa assumisse que está com o ser que julga abominar justamente por dinheiro.

                Qual é o preço da sua felicidade? Quitar todas as contas em dia, poder ter bens materiais e viagens incríveis, postar no Facebook que foi a uma festa badaladíssima em outro estado, vestindo a última moda… mesmo que isso custe uns antibióticos, idas intermináveis a médicos e a eterna sensação de que nem tudo é o suficiente?

                Certa vez até achei que a felicidade tivesse um preço, uma quantificação monetária…Também não curto muito ter que contar os centavos todo o mês pra honrar contas do dia a dia e não me dar ao luxo de alguma comprinha desnecessária.

                Até achei que um dia ser ‘mulher bibelô’ poderia me deixar mais feliz…descansada…Qual nada…

                Tem uma coisa que caminha lado a lado com a felicidade que é a paz de espírito. É não ser obrigada a nada. É se saber sem grana, porque a conta da luz veio com mais bandeiras que uma final de copa, que o condomínio nunca é pago em dia…e que o aluguel este mês talvez também atrase…

                Felicidade é ter a saúde em ordem e disposição pra prosseguir atrás de nossos objetivos sustentada por nossas próprias pernas, e junto a  pessoas com as quais nos sintamos bem.    

 

Rosane Machado de Andrade – Escritora Rosane

                

Então… vale ou não vale uma reflexão?

Beijinhos da Ká

Look do dia

Top Cropped “GG”

Oi gentemmm…tudo bem por aí?

Hoje quero falar de um super tendência e que sempre causa polêmica. É o TOP CROPPED. E se a peça em questão for usada por uma gordinha então… OMG!!!!

                                   cropped6

E daí eu pergunto: gordinha pode usar top cropped? Bom, na minha humilde opinião, volto a dizer, que todas as pessoas, podem usar o que quiser, e o que gostar, caso tenham uma boa dose de bom senso. Lembrem-se, em todos os casos, o espelho é o nosso melhor amigo. Devemos analisar a imagem em todos os ângulos (frente, lado e costas). E, se na primeira olhada o alerta vermelho “gritar”, olhe mais atentamente e descubra o que não está em sintonia no look e TROQUE IMEDIATAMENTE.

Bom o tema é top cropped, então a regra é bem simples: o umbigo nunca deve aparecer. A regra é clara e independe no seu peso, altura, estilo etc… O look fica muito elegante e estiloso quando aparece somente uma “faixa” de pele e na altura do estômago. Por isso o ideal é optar por peças de cintura alta. Caso a regra citada não seja seguida a risca, deixa de ser TOP CROPPED, e passa a ser outra coisa. E no geral, a peça deve estar em sintonia com a parte de baixo que pode ser saia, calça ou shorts. Ao usar um top mais larguinho use a parte de baixo mais justa e vice versa. Top justo, parte de baixo, mais larga. Mas se o objetivo é fazer o tipo “femme fatale”,  ao melhor estilo Kim Kardashian, então quanto mais justas forem as peças, melhor (rsrsrsrs).

Hoje eu estava escolhendo uma roupa para vestir, e ao me olhar no espelho, percebi a combinação. Acho que as fotos a seguir dão bem uma ideia de como podemos tirar o melhor proveito da moda.

croppedddddd    cropped cropped2      cropped3 cropped5cropped4

 

Meninas espero que tenham curtido.

E me contem, como vocês usam top cropped?

Continuem me acompanhando pelo facebook e instagram @karinavirtuoso.

Beijinhos da Ká

Cobertura de bolo

Oi genteee… Tudo bem por aí?
Não sei como é para vocês, mas eu tenho a sensação de que meus dias estão cada vez mais curtos e corridos. Parece que 24h não são mais suficientes….aff.

Talvez seja o acúmulo de funções, ou até mesmo a forma com a qual lidamos com as coisas não estejam lá muito corretas…

Seja como for, hoje o BLOG traz mais uma reflexão importante para os nossos dias, tanto na área profissional ou pessoal. Precisamos estar atentos e preparados para os acontecimentos ao nosso redor.

E, é exatamente aqui, que entram os ensinamentos de um profissional que ultimamente tem feito a diferença na vida comportamental de muita gente, o COACH. E por que não usufruir um pouquinhos desses ensinamentos e tentar identificar e melhorar alguns elementos e algumas atitudes em nosso dia-a-dia e fazer nossa vida mais feliz?

Pois é, temos a honra de ter aqui em nosso espaço, a colaboração da Psicóloga e Master Coach, Kerlan Lumertz (falei sobre ela neste post aqui)e que no post de hoje, nos traz alguns exemplos e questionamentos que valem a leitura e a reflexão.

Vamos à eles…

Nos meus quase 13 anos de experiência profissional com consultoria em RH, palestra, curso, psicologia e mais recentemente, nos últimos 5 anos com Coaching ouço muita gente ora reclamando, ora elogiando suas próprias carreiras. Mas, são unânimes em afirmar que se tivessem percebido algumas coisas antes, suas vidas (pessoal e profissional) teria sido mais fáceis!

Então, fiz uma relação de três itens e venho compartilhar com vocês! E para iniciar vou falar sobre cobertura de bolo! Mas, calma, não se preocupe que não vou dar nenhuma receita! Continue lendo que vocês já vão entender! Outro dia passei o fim de semana na casa da minha mãe e me deparei com uma situação bem curiosa. Já era domingo e percebi que havia um bolo de chocolate sob o balcão da cozinha intacto desde sexta-feira. Despercebido, triste e esquecido. Até que minha irmã brilhantemente teve a ideia de colocar uma deliciosa cobertura de chocolate! O que aconteceu no mesmo instante? Isso mesmo que você pensou: o bolo foi devorado! Com vários “hunnn, delícia” ditos ao redor da mesa do café. 
Trago esta analogia bem simples, mas ela nos remete à algumas reflexões quanto a maneira como nos posicionamos no mercado ou em nosso dia a dia: nosso trabalho está sem ou com cobertura? E nossas amizades, parecem bolo de confeitaria, de vó ou bolos que não tem gosto? Estamos despercebidos ou estamos sendo lembrados pelo sabor do nosso trabalho, das nossas amizades, da nossa presença? Caso você esteja refletindo e não tem certeza se tem ou não “cobertura de bolo”, vou compartilhar com vocês as dicas que aprendi ao longo da minha vida:

1ª DICA) Elenque as competências, habilidades, atitudes para exercer sua função. Seja profissional ou pessoal. Por exemplo, que atitudes você precisa ter para ser uma boa amiga? Bom, é isso que você terá que fazer com todas as competências, habilidades, atitudes. Chamamos isso de “desenhar o CHA”. Se você tiver alguma dúvida ou dificuldade de fazer seu CHÁ me chame no watsapp (48) 9963.6385 ou no Instagram @klscoaching que eu te ajudo. 
Bom, continuando… Em geral, não temos a real consciência das necessidades para nosso atual cargo, muito menos das necessidades do cargo que queremos ocupar daqui à alguns anos. E lembre-se, saber as competências, habilidades e atitudes do cargo faz com que potencializemos as coisas boas do nosso comportamento, ajudando para que andemos em direção do que falta para virmos à ser no futuro. Assim, dá-se nas relações humanas também! Quantas vezes nos cobram: “você tem que ser mais calma”, ou “você deve sorrir mais”. Enfim, sempre haverão CHA para serem aprendidos.

2ª DICA) Com o CHA devidamente descrito, num papel, com detalhes, verifique o que possui e o quem não possui. Com sinceridade e franqueza!!! Com isso, verifique aquilo que você possui com maestria e também destaque aquilo que você não tem. Como diz Arnaldo Jabor, “ser franco consigo mesmo a respeito daquilo que lhe falta é o primeiro e grande degrau para o sucesso.” 

3ª DICA) Pegue essas duas listas e guarde consigo. Porém, a lista daquilo que você não possui deve ser analisada e esmiuçada… Ou seja, verifique o que é fácil mudar e grife de cor forte. Veja o que é difícil e também sinalize, porém com cores diferentes… E por aí vai… o que precisa, quem poderia ajudar, que cursos fazer, que ações tomar… ou seja, faça um plano de ação para diminuir ou até mesmo cessar tais fraquezas. 

Voltando a história do bolo, quando vamos cozinhar temos que dar uma olhada no armário e na geladeira, verificar se tem ovo, farinha, açúcar… Essa é a dica 1. Depois temos que nos certificar se soubemos a receita ou se temos que buscar ajuda da mãe, da internet… essa é a dia 2. E depois se algo faltar ir ao mercado buscar os itens necessários para fazer o bolo. Essa é a dica 3. Ah! Mas, não esqueça da cobertura, senão seu bolo vai ficar esquecido! E o que seria a cobertura? Bem, cobertura é sorriso, é bom humor, cordialidade, gentileza. É caráter!

Por fim, como de costume quero deixar uma reflexão pra vocês…
E como está a preparação do seu bolo? Você está preparado? E a cobertura? Como estão seus resultados? Lembre-se, cada vez mais tem gente aprendendo a cozinhar e querendo fazer as melhores coberturas. 

Espero ter feito você refletir. Um mês doce como bolo de chocolate. 
Até breve, beijos. 
Kerlan.

Kerlan

Kerlan Lumertz 

contato@klsolucoes.com.br

Psicóloga e Master Coach. Especialista em Gestão de Pessoas em Crescimento e Desenvolvimento Humano. Técnica dos Fundamentos da Neurociência e em Planejamento Estratégico. Palestrante. professora Universitária. Gestora de projetos de Capacitação Empresarial Estratégica em SC, PR, SP no Brasil e CA e BOS nos EUA. Escritora e Coautora do livro “Condicionados para o Sucesso: Mudando Paradigmas”. Assina várias colunas de jornais e revistas de circulação regional e estadual, além de idealizadora e articulista do quadro papo de Líder na rádio Eldorado 89,5 FM e 570 AM.

Então gente… vamos começar a pensar na cobertura do bolo…. Claro que nada adianta uma cobertura maravilhosa, se o bolo por dentro não tá fofinho e gostoso… Vamos pensar no “conjunto da obra” e buscar ser o melhor “chef de cuisine” das nossas vidas! Realmente é para pensar…

Por hoje é isso meninas… espero a visita de vocês no facebook ou no instagram @karinavirtuoso.

Beijinhos da Ká

Look do dia

Homens, com ou sem barba?

Oi gente… Que delícia começar a semana com um artigo vindo lá do outro lado do oceano.

Hoje quem traz as novidades para vocês, é a minha amiga querida, Adriana Rocha, que atualmente vive na Itália e estuda história/antropologia na universidade Cá’ Foscari de Veneza, a qual já apresentei em outro post (se quiser relembrar clique aqui).

Nesse post, a Adri fala de uma moda que chegou e aparentemente está fazendo a cabeça, digo, o rosto dos homens modernos e antenados.

Normalmente por aqui só tem assuntos femininos, mas em qualquer roda de bate bapo de amigas, tem sempre algum assunto para falar sobres nossos homens, não é mesmo…

E também, além de ficar por dentro da moda e dar um “up” no visual do gato, podemos aprender um pouco mais de história… vem ver!

 

Com ou Sem ?

 

Quando os modelos do desfile de John Richmond, em Milão, entraram na passarela elegantíssimos, mostraram não somente o que iria rolar no que se diz respeito a moda nas roupas masculinas, mas também a nova tendência do beauty look.

Sem título

2

                                                                                         

 

Clássica, hipster, lumberjack (estilo lenhador!) ou bem curtinha: o estilista confirmou a barba como a grande protagonista de 2015, em mil e uma variedades e sempre up-to-date.

E olhando ao redor começo a perceber como rapidamente os homens aceitaram, com muito prazer, a nova moda – acredito que ter que fazer a barba todas as manhas não deve ser fácil , e quando é frio então, acho que as coisas pioram. Mas a Barba pertence ao homem, e não somente, desde sempre…e alguns amigos me dizem: “bendito o inventor do barbeador elétrico” (risos).

 

3 4 5 6 7

 

 

 A barba demonstra que o garoto esta chegando a idade adulta, e sempre foi símbolo de poder e força.

Na antiguidade Egípcia, era uma rigorosa regra higiênica e também dever religioso manter o rosto sempre privo de qualquer pelinho . E foram próprio eles, não a inventar, mas a aprimorar todos os tipos de laminas para melhor cortar e preparar a barba.

 

8

Barbeadores egípcios

 

Era na Grécia antiga símbolo de virilidade. Porém quando subiu ao trono Alexandre – O Grande, a barba caiu de moda já que o novo Imperador Grego era privo de pelos no rosto e como era ele quem comandava por lá, pela mesma estrada continuaram os romanos.

Mas no ano de 144 d.c. sobe ao trono de Roma Publius Aelius Traianus Hadrianus, Adriano para os íntimos. Foi ele o primeiro imperador romano a adotar a Barba.

 

9

Busto do Imperador Adriano – Museu Arqueológico de Veneza-Itália.

 

Grande apreciador da cultura grega e de suas ideias, Adriano quer se parecer ao máximo com os clássicos, demonstrando assim para o povo, mas principalmente ao senado, que ele é a pessoa certa para comandar o exército e administrar o extenso Império Romano – e por incrível que pareça, a barba vai ajudar nisso. Vai dar ao Imperador aquele “ar filósofo”, demonstrando grande cultura, sabedoria e conhecimento.

 

A arte paleocristã começou então a representar os homens com barbas, próprio com este proposito. E foi neste momento que Jesus começou a ser representado assim, com uma longa barba escura, pois nos períodos antecedentes era representado sem.

 

10

Mosaico representando Jesus sem a barba.

 

O lance legal deste retorno dos “barbados” foi que trouxe de volta  a cultura da barbearia. Quem passa por Roma, pode dar uma paradinha e “aparadinha” (haha) na Dandies Barber Shop, que nos leva a uma antiga atmosfera americana anos trinta.

 

 

 11

 

Lugar muito frequentado por nossos avós e pais, as barbearias retornam bem revisitadas, muito mais modernas e em algumas, como na La Barbière de Paris, no comando encontramos uma “barbeira” (atenção: a palavra foi usada como feminino de barbeiro e não como depreciativo de motorista!!).

 

 12

Sarah Daniel Hamizi, proprietária da barbearia, é conhecida como guru do grooming masculino. Seus clientes são artistas, homens de negócio, políticos. É autora do livro Barbes et Moustaches, consultora de imagem e protagonista de um tutorial online próprio sobre o nosso tema.

E quem nunca fez de conta que sabia e preparou a barba do pai, marido, amigo, irmão? 

Mas, K entre nós, como você o prefere, com ou sem barba?

Adriana Rocha – Colaboradora  DSC_0120

Bom gente, embora a barba bem cuidada tenha lá o seu charme, eu prefiro SEM barba. E vocês?

Por hoje é isso meninas. Boa semana!

Beijinhos da Ká

 

Vamos refletir?

Oi gente, tudo bem por aí?

Então minhas queridas, talvez muitas de vocês tenham percebido que ando meio ausente por aqui. Bem, eu tive uns contra tempos, acho que posso chamar de adversidade. Graças à Deus as coisas já estão voltando ao normal e a vida que segue incessante, cobra-nos uma atitude, uma postura diante dos acontecimentos (sejam eles bons ou não!).

E é justamente aí que paramos para analisar algumas questões. Bastam algumas coisas fora do lugar para bagunçar nossa rotina, e virá-la de cabeça para baixo. Algumas pessoas lidam bem com pressões e adversidades, outras nem tanto…

Por que estou falando tantas coisas meio sem sentido? Porque recentemente parei por uns instantes e percebi o quão frágil é nossa vida. O quanto dependemos de muitos fatores para estarmos fortes, para termos coragem e determinação… Principalmente quando o assunto em questão envolve saúde e pessoas que amamos… Daí o “bicho pega”! (risos).

Bem, diante de tudo isso, quero falar à vocês sobre uma pessoa. Sabe quando você pára, respira fundo, conversa com alguém por algumas horas e tem a sensação de conhecê-la por toda uma vida? Eu tive essa grata surpresa! Isso já aconteceu comigo antes, mas é bem raro! Então, quando acontece eu prefiro apenas alegrar-me e festejar o presente recebido.

Eu explico: semana passada tive uma conversa longa com uma conhecida que já entrevistei em meu programa certa vez. E…, bingo! Foi de imediato o sentimento de afinidade. E levando em conta toda a sua formação e conhecimento, convidei-a a colaborar com este espaço aqui. Tenho certeza de que ela terá muito a nos acrescentar e nos ajudar em muitas questões.

Hoje, apresento à vocês a Kerlan Lumertz. Ela é Psicóloga e Master Coach, proprietária da KL Soluções em Coaching. A moça tem várias especialidades e atividades, então vou adicionar ao final do post.

E para iniciar a colaboração dela por aqui, abaixo segue um texto enviado por ela, e que veio bem de encontro aos meus pensamentos e questionamentos lá do início do post, e diz assim:

“Olá queridas, tudo bem? 

Eu sou a Kerlan, psicóloga, master coach, especialista em comportamento humano e uma apaixonada pela vida. Mas, o papel que mais gosto é de ser a esposa do Newton e mãe da Lisa, uma cadelinha maltês linda!

Estou muito feliz já que hoje inicia mais uma etapa na minha vida e vocês estão fazendo 
parte dela. Uma etapa que eu adoro. E sabem por quê? Por que vou trazer aqui para o Blog um pouquinho de tudo aquilo que mais gosto… Comportamento, dicas de leitura, motivação, vida profissional, relacionamento interpessoal, sucesso, felicidade… Gostou? Então, continue lendo por que hoje estou inspirada! (risos) 

Quando foi a última vez que você dedicou algum tempo exclusivo para você mesmo? Não estou me referindo aos momentos de lazer, onde cumprimos geralmente com alguma agenda pessoal ou familiar. Minha questão diz respeito ao tempo em que dedicamos a uma introspecção. Parar apenas para pensar, fazer um balanço e perceber um pouco o sentimento gostoso de solidão. Para ouvir o silêncio. Isso mesmo: ouvir o silêncio. Não me refiro a solidão triste, duradoura, depressiva ou doentia. Mas sim, aquela que nos proporciona pensamentos,ideias criativas e momentos de insights, muitas vezes existenciais! 
Não precisa ser um período sabático ou uma ida ao Caminho de Compostela. Refiro-me há um tempo para você, e somente você. Pode ser simplesmente um final de semana, com uma agenda dedicada à reflexão, ou apenas horas onde, sem distrações do cotidiano, você possa prestar plena atenção em você, em seu interior. Chamo esse momento de Solidão Positiva. É oportunidade única para perguntar-se como você se sente, o que pensa atualmente e o 
que deseja em um futuro próximo. Somente olhar para dentro e avaliar seu estado atual, 
um check-up único e quase sem custo. Quase!!! Pois, a falta desses momentos podem valer a sua felicidade. Falando nisso… quanto vale a sua felicidade? Vai pensando aí, enquanto eu vou escrevendo aqui… 

É interessante pensarmos quanto tempo dedicamos em nossas vidas para fazermos 
avaliações de outros macro-sistemas. Avaliamos nossas organizações, estratégias, 
empreendimentos, projetamos a vida para nossos filhos, estudamos as finanças, a política economia e até a vida dos outros! Ah! Esse último é assunto para outro post (risos) 

Continuando, é ou não é verdade que não paramos para avaliarmos nós mesmos! Nosso maior patrimônio, nosso “eu”. Estranho não? Então fica aqui meu segundo convite à reflexão: faça um STOP! Ou seja, pare e apenas dedique-se algum tempo para fazer este balanço, você verá que o resultado pode ser surpreendente. 
E agora? Está refletindo sobre sua vida? Calma, ainda tem a última pergunta para que você possa pensar, refletir e perceber o quão legal você é! (ou não!?!) 
Bom, pra finalizar, se você encontrasse com você mesmo aos 10 anos de idade. A criança que você era ficaria feliz com o adulto que você é hoje? 
Espero ter feito você refletir. Até breve, beijos. Kerlan.”

 

Kerlan

Kerlan Lumertz 

contato@klsolucoes.com.br

Psicóloga e Master Coach. Especialista em Gestão de Pessoas em Crescimento e Desenvolvimento Humano. Técnica dos Fundamentos da Neurociência e em Planejamento Estratégico. Palestrante. professora Universitária. Gestora de projetos de Capacitação Empresarial Estratégica em SC, PR, SP no Brasil e CA e BOS nos EUA. Escritora e Coautora do livro “Condicionados para o Sucesso: Mudando Paradigmas”. Assina várias colunas de jornais e revistas de circulação regional e estadual, além de idealizadora e articulista do quadro papo de Líder na rádio Eldorado 89,5 FM e 570 AM.

 

 Então caras leitoras, digam-me… Vocês praticam essa tal “solidão positiva”?

Confesso que sou adepta rsrsrsrsr….

Dividam comigo suas opiniões. Espero por vocês no facebook ou no instagram @karinavirtuoso.

Beijinhos da Ká

PRETINHO BÁSICO

Oi gentemm…tudo bem por aí?

Para iniciar esta quarta-feira cheia de reflexão e energias (positivas, é claro), divido com vocês, mais um delicioso texto da minha querida amiga escritora, advogada, professora, pole dancer etc, etc, ect,  Rosane Machado de Andrade.

Eu a apresentei em outro post (clique aqui). Mas seja como for, seus textos sempre nos convidam a uma bela reflexão.

Então, deliciem-se!

 

PRETINHO BÁSICO

            Sempre me julguei bem vestida usando preto. Às vezes sinto-me meio Johnny Bravo olhando minhas roupas: camisetas pretas (algumas até com estampas) e calças jeans azuis em sua maioria. Dizem que a mulher indecisa busca o preto pra não errar nunca, diria que a mulher esperta faz isso.

Porém, na real, meu pretinho básico não é uma roupa, um vestido tubinho… Meu pretinho básico é o café. Sim. Aquele cafezinho quentinho que bebo em xícara, copo plástico, canequinha… dependendo da companhia ou da ausência dela.

Acho chique demais alguém convidar pra um café. Por um lado passa uma intimidade e, por outro, uma saída pra se conhecer alguém sem muito compromisso. Afinal, um almoço ou jantar depreendem muito mais gasto, preparo, pompa e circunstância… e café, ah, é sempre café. O café consegue ser chique, despojado, apressado ou demorado. Dependendo da ocasião, da companhia, do estado de espírito, ele pode ser uma válvula de escape.

Um café no meio da tarde pra acordar, ou pra fazer com que a gente recarregue as baterias, pense em outra coisa ou tenha coragem pra prosseguir. A cafeína servindo de cúmplice, companheira que apóia e, para uns poucos, entorpece. Não fumo, mas dizem que quem toma café, fatalmente arremata com um cigarro. Parece que o gosto da cafeína remete a esse complemento. 

Acho cafeterias a cara da riqueza, mas adoro aquele cafezinho em que encostamos a barriga no balcão e o bebemos queimando dedos e beiços no copinho de vidro. Copinho este que já deve ter visto uma cachacinha passar por ali.

Com açúcar ou adoçante? Depende do dia, da hora, do lugar, do acompanhamento, da culpa por um dia anterior pleno de calorias… E aí vem a piadinha quando sou questionada a cerca de como adoçar: açúcar, e muito, porque de amarga já basta a vida.

Qual nada. Que vida amarga o quê. Quem se dá ao luxo de não deixar escapar o prazer de beber um pretinho básico e, por segundos, pensar na vida, ou esquecer-se dela, vai perceber que há muito mais do que pó, ou grãos, água e adoçante (ou açúcar). O café parece um suspiro que colocamos pra dentro e nos alivia, tal qual o que colocamos pra fora num respirar. Ele é a pausa necessária pra que coloquemos ordem na casa interna e decidamos o que queremos fazer ou deixar de lado.

Pretinho básico tão imprescindível quanto um abraço, uma palavra amiga… Quente a ponto de me queimar a língua e me acordar para o que eu tenho de realizar. A vida não é amarga… A vida é o café fresquinho que temos de aproveitar até a última gota. 

 

Rosane Machado de Andrade – Escritora Rosane

 

 

Obrigada, RÔ!

E quem aí topa um cafezinho?

Espero que tenham curtido. Passem para me visitar  no facebook ou no instagram @karinavirtuosoSempre tem postagens e novidades por lá.

Beijinhos da Ká

 

Quantos anos você tem?

Oi gente… Tudo bem por aí?

Este início de semana tem gostinho de novidade aqui no blog. A partir de agora, contarei com participações especiais, de pessoas carinhosamente convidadas, a contribuir com este espaço democrático e amplamente feminino.

Muitas são as questões que rondam a cabeça e o íntimo de uma mulher, portanto, acho maravilhoso ter a oportunidade de oferecer espaço para outras pessoas, assim como eu, exporem seus pensamentos e levantar discussões saudáveis e dividir com nossas leitoras os dilemas e alegrias femininas.

A ideia é compartilharmos sempre, trocarmos experiências e assim fortalecer ainda mais a DIVA MARAVILHOSA que há em cada uma de nós.

Começamos então, com uma convidada muito querida, uma mulher guerreira, cheia de força de vontade, e de uma inteligência e humor muito particular, da qual me tornei fã.

Estou falando da advogada, professora, escritora, pole dancer (e muitas outras atividades), Rosane Machado de Andrade.

Ela já tem dois livros publicados, com o título Coisas de Mulherzinha I e II, e enriquece algumas revistas, jornais e rádios com seus textos pra lá de instigantes e provocativos.

Então, hoje, abro as portas deste espaço para receber com muita alegria um texto enviado pela Rosane. Um convite a iniciar a semana com uma reflexão bem bacana, vem ver!

QUANTOS ANOS VOCÊ TEM?

            Já lhe fizeram a pergunta do título? Quantas vezes? E qual foi a sua resposta? A sua idade? Sinto-lhe dizer que você está redondamente enganado.

            Não sabemos ao certo quantos anos ainda temos, mas sim quantos já vivemos. Quantos anos perdemos nos incomodando com coisas que não valiam a pena e que, para nosso consolo, colocamos como sendo ‘experiência adquirida’!

            Só que chega uma hora em que não somos mais obrigados a nada. Não temos que nos submeter a situações absurdas apenas para insuflarmos o ego de alguém que, na esmagadora maioria das vezes, não vale o farelo que come.

            Irmos a certos lugares, estarmos com pessoas desnecessárias…pra quê? Pra provar o que e pra quem? Só se quisermos passar recibo de desespero, falta de personalidade…Maria-vai-com-as-outras.

            Opa, em tempo, uma ligeira pesquisa sobre a tal expressão…Santo Google em meu socorro: “A Maria da expressão é Dona Maria I, rainha de Portugal no final do século XVIII. Ela é conhecida como “A Louca” – por ter sofrido uma doença mental após a morte de um dos seus filhos. Por causa de sua condição mental, D. Maria vivia reclusa e só saia acompanhada de damas – as outras da expressão.”

            Mas, retornando ao assunto em pauta… E aí somos iludidos a acharmos que temos todo o tempo do mundo. Achamos que ainda conseguiremos realizar milhares de coisas, inclusive conseguirmos nos tornar milionários! Sim, a ilusão da causa de milhões, da mega acumulada, do casamento afortunado nos ronda a imaginação e nutre nossas fantasias.

            Só que o tempo passa mais rápido do que imaginamos. Já nos encontramos na metade do ano e as tais determinações de Ano-novo nem foram vistas. O papelzinho guardado à meia-noite queima ‘supostamente esquecido’ em uma gaveta qualquer. Em um canto de nosso armário. Quando voltamos a lê-lo, um calor sobe em nosso rosto e pensamos: nada foi feito…e há tão pouco tempo.

            Não quero ser negativa, fatalista, pessimista, mas se começarmos a pensar que não temos todo o tempo do mundo, nossa vida vai mudar…e pra melhor.

            Aquele relacionamento que nos tortura chegará ao fim. Aquele emprego que temos, só pra pagar as contas, terá seus dias contados…

            O tempo urge e a Sapucai não é tão grande assim. Podemos num piscar de olhos não estarmos mais aqui ou, de algum modo, impossibilitados de realizar qualquer coisa, por mínima que seja.

            Não sou obrigada a nada…apenas a ser feliz! Pense nisso! Mas aja também!      

Rosane Machado de Andrade – Escritora Rosane

 

 

Seja bem vinda, RÔ!

Então é isso pessoal, bora ser feliz!!!! Espero que tenham curtido. Mandem sugestões do que vocês gostariam de ver no blog e não deixem de me visitar  no facebook ou no instagram @karinavirtuoso. Sempre tem postagens e novidades por lá.

Beijinhos da Ká